sábado, 28 de janeiro de 2012

DISLALIA, DISLEXIA E AFASIA DA LINGUAGEM

Dislalias da linguagem

     Consiste na má pronuncia das palavras, seja omitindo ou acrescentando fonemas, trocando um fonema por outro ou ainda distorcendo-os. A falha na emissão das palavras pode ainda ocorrer a nível de fonemas ou de sílabas. Assim sendo, os sintomas da Dislalia consistem em omissão, substituição ou deformação dos fonemas.

     As Dislalias da linguagem constituem um grupo numeroso de perturbações orgânicas ou funcionais da palavra. No primeiro caso, resultam da mal formações ou alterações de inervação da língua, da abóbada palatina e de qualquer outro órgão da fonação. Encontram-se em casos de mal formações congênitas, tais como o lábio leporino ou como conseqüência de traumatismos dos órgãos fonadores. Por outro lado, certas Dislalias são devidas a enfermidades do sistema nervoso central.

Dislexia da linguagem

     Dislexia é um distúrbio específico da linguagem caracterizado pela dificuldade em decodificar (compreender) palavras. Segundo a definição elaborada pela Associação Brasileira de Dislexia, trata-se de uma insuficiência do processo fonoaudiológico e inclui-se freqüentemente entre os problemas de leitura e aquisição da capacidade de escrever e soletrar. Resumidamente podemos entender a Dislexia como uma alteração de leitura.

     O diagnóstico da Dislexia é muito semelhante ao de outros distúrbios de aprendizagem. Por isto, é preciso muito cuidado para não rotular toda e qualquer alteração de leitura como Dislexia. A Dislexia tem sempre como causa primária a relação espacial alterada, fazendo com que a criança não consiga decifrar satisfatoriamente os códigos da escrita. O diagnóstico da Dislexia exige quase sempre uma equipe multidisciplinar, formada por neurologista, psicólogo, psiquiatra e psicopedagogo. Esta equipe tem a função básica de eliminar outras causas responsáveis pelas trocas de letras e outras alterações de linguagem.

Afasia da linguagem

     Uma lesão cerebral de extensão limitada interessando o hemisfério esquerdo de uma pessoa dextra poderá fazê-la perder a capacidade de utilizar a linguagem como meio de comunicação e como meio de representação simbólica: o indivíduo não poderá se exprimir oralmente ou por escrito de uma forma inteligível; ele não mais decifra as mensagens que recebe sob a forma de linguagem falada ou escrita.

     A definição de Afasia exclui as perturbações restritas à função da linguagem e que estão sob a dependência de uma desorganização global do funcionamento cerebral, tal como acontece na confusão mental. Ela exclui, também, as dificuldades de comunicação resultantes de uma alteração do aparelho sensorial (surdez, cegueira), ou do sistema motor, como ocorre na Disartria ou na hemiplegia, os quais intervêm normalmente na percepção e/ou na expressão lingüística.

     O diagnóstico da Afasia da linguagem, como transtornos que altera a linguagem tanto na compreensão como na expressão do pensamento, exige 04 características:
1 – é sempre produzida pro lesões focais do córtex ou do centro oval;
2 – é sempre compatível com a integridade das funções motoras, sensitivas e das percepções elementares, portanto, não é condicionada por alterações nessas áreas.
3 – geralmente esta acompanhada, em grau variável, de elementos apráxicos ou cognitivos;
4 – está associada a transtornos mais ou menos profundos da atividade intelectual que podem ser concomitantes ou simples repercussões dessa alteração da linguagem.
     Tanto a Afasia da linguagem quanto a Disartria podem perturbar gravemente a expressão, porém, são dois dos caracteres semiológicos que distin-guem esses dois tipos de alteração da linguagem. Na Disartria há sempre uma conversação perfeita da compreensão da linguagem oral e escrita e existe sempre a possibilidade do paciente se expressar perfeitamente por escrito.
     Dos diferentes tipos de Afasia, destacamos apenas quatro que são bem conhecidos do ponto de vista anatomoclínico: Afasia Motora, Afasia Sensorial, Afasia de Broca e Afasia global.

Causas da Afasia

Na ordem decrescente de importância, as causas da Afasia são as seguintes:
a) desordens vasculares
b) traumatismos que atingem o hemisfério esquerdo
c) processos inflamatórios
d) escleroses disseminadas e encefaloses
e) abscessos e gomas
f) tumores
g) hematomas
Podem-se observar Afasias transitórias no curso da uremia, diabete, intoxicações, na epilepsia e na enxaqueca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Envie seu comentário sobre esta postagem...

Concurso Público

Adsense